INÍCIO DE FEVEREIRO CAÓTICO

02-03-2017 21:30

 

A dívida que está a consumir a Junta de Freguesia de Aldeia Viçosa (111 mil euros com juros sempre a somar) é relativa à empreitada "construção da casa mortuária de Aldeia Viçosa; execução de trabalhos de pavimentação de arruamentos em Aldeia Viçosa; trabalhos de execução de muros no caminho de acesso à Soida". As sete faturas em dívida datam de entre 23/01/2006 e 28/12/2007. 
 
Por causa das penhoras criadas por este processo, o funcionário não recebeu 2 salários (o que não é justo), os membros da junta já vão com 6 meses de compensações por receber (também não é justo), não se paga a EDP, SMAS, comunicações e outros compromissos urgentes. Veio um cheque devolvido e isto é muito grave. Nenhum dos três está habituado a estas coisas. 
 
Temos os imóveis (salão e antiga junta) pernhorados por uma dívida de 5.891,04€ à empresa Egiconfor. Um processo no tribunal que começou em 8 de março de 2007. Estamos a investigar o que foi feito e quando. 
 
O Ministério Público penhorou os créditos da Câmara e o FFF que vem de Lisboa (estão em lista de espera!) por causa de uma multa que vai em 4.350€. Ordem de pagamento do Tribunal é de 8 de março de 2013.
 
Chegou (mais) uma multa das Finanças para pagar. Portagem de março de 2013 em Abrantes de 49€ que não foi paga. 
 
A situação está caótica. Isto não pode continuar. Depois da perplexidade e desorientação, a Junta está em modo de REAÇÃO (mais uma vez). Vamos ver...
 
(A Junta de Freguesia pagou até ao momento 15.961,90€ da dívida à Albino Teixeira com a penhora dos 20% do FFF. Falta mais de outro tanto. O que não faria uma Junta normal com este dinheiro?! Bolas!!!)