APELO AOS NOSSOS MIGRANTES E EMIGRANTES.

Ser gostam de Aldeia Viçosa e das suas gentes, não venham nesta altura. Depois virão mais fortes. 

Se vierem, fiquem 14 dias sem sair de casa e sem contactar ninguém. Por Aldeia Viçosa.

ATENÇÃO: RECEITAS MÉDICAS - JUNTAS E CENTRO DE SAÚDE EM ARTICULAÇÃO

Informamos que estão encerradas as extensões para consultas médicas. A Junta de Freguesia coloca-se ao dispor dos utentes do Extensão do Centro de Saúde de Aldeia Viçosa (e outros que precisem de ajuda) para facilitar os pedidos de medicação crónica ou outras situações que não exijam presença do utente.
Assim, quem se encontrar nesta situação poderá contactar com a Junta (pelos meios que já foram disponibilizados – 969345024, freg.aldeiavicosa@gmail.com, www.jf-aldeiavicosa.pt ou Facebook.com/jfaldeiavicosa mensagem privada) e indicar:
- nome e número de utente;
- número de telemóvel;
- nome dos medicamentos.
A Junta de Freguesia fará a ponte com o Centro de Saúde no sentido de fazer chegar as receitas a quem necessitar.
Na sede vão funcionar as consultas só muito urgentes, os restantes problemas terão de ser resolvidos por telefone 271 200 800 ou 271 200 830.

COVID-19
Face à situação de Emergência de Saúde Pública de Âmbito Internacional da COVID-19, declarada pela Organização Mundial de Saúde a 30 de janeiro de 2020, e de pandemia declarada a 11 de março de 2020, o Ministro da Administração Interna e a Ministra da Saúde assinaram o despacho de Declaração de Situação de Alerta que abrange todo o território nacional, até ao dia 9 de abril de 2020.

A Declaração de Situação de Alerta resulta dos seguintes fatores:

· A situação epidemiológica a nível mundial;

· O aumento dos casos de infeção em Portugal, com o alargamento progressivo da sua expressão geográfica;

· A necessidade de conter as possíveis linhas de contágio para controlar a situação epidemiológica em Portugal.

Na sequência do mandato conferido à Comissão Nacional de Proteção Civil, resultante das reuniões realizadas nos dias 3 e 9 de março de 2020, em consonância com as decisões tomadas pelo Conselho de Ministros do dia 12 de março de 2020, e no âmbito da Lei de Bases de Proteção Civil, a Situação de Alerta determina a adoção das seguintes medidas, de carácter excecional:

· Aumento do estado de prontidão das forças e serviços de segurança e de todos os agentes de proteção civil, com reforço de meios para eventuais operações de apoio na área da saúde pública;

· Interdição da realização de eventos, de qualquer natureza, em recintos cobertos que, previsivelmente, reúnam mais de 1000 pessoas e ao ar livre com, previsivelmente, mais de 5000 pessoas;

· Suspensão do funcionamento dos estabelecimentos de restauração e de bebidas que disponham de salas ou de espaços destinados a dança;

· Acompanhamento da situação por uma subcomissão, no âmbito da Comissão Nacional de Proteção Civil, em regime de permanência, enquanto estrutura responsável pela recolha e tratamento da informação relativa ao surto epidémico em curso, garantindo uma permanente monitorização da situação;

· Ativação do sistema de avisos à população pela Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC).

As comissões municipais e os centros de coordenação operacional distrital de proteção civil monitorizam a situação nas suas áreas de competência territorial, devendo informar prontamente o Centro de Coordenação Operacional Nacional.

Durante o período de vigência da Declaração de Alerta, os cidadãos e as demais entidades têm, nos termos da Lei de Bases da Proteção Civil, o dever de colaboração, nomeadamente no cumprimento de ordens ou instruções dos órgãos e agentes responsáveis pela segurança interna e pela proteção civil e na pronta satisfação de solicitações que justificadamente lhes sejam feitas pelas entidades competentes.

A desobediência e a resistência às ordens legítimas das entidades competentes constituem crime e são sancionadas nos termos da Lei de Bases da Proteção Civil.

A Declaração da Situação de Alerta pode ser prorrogada em função da evolução da situação epidemiológica.

(Retirado de Jornal A Guarda)

 

Percurso Pedestre PR 1 de Aldeia Viçosa

Descarregue aqui o panfleto do percurso ou solicite-o na junta de freguesia ou no comércio local:

  Percurso Pedestre PR 1 de Aldeia Viçosa  

"Lançar sementes, Colher sorrisos"

Discurso do Presidente da Junta de Freguesia na cerimónia de lançamento do livro da autoria do Padre Carlos Jacob. 

Texto: "Lançar sementes, Colher sorrisos"

Vídeo discurso: apresentação P.e Carlos Jacob

Bem-vindo

Aldeia Viçosa é uma freguesia do concelho da Guarda, estendendo-se sobre a margem esquerda do Vale do Mondego. Conta com cerca de 341 habitantes (2011), com 7,55 km² de área e com uma densidade populacional de 45,2 hab/km². Podemos encontrar vestígios de uma riquíssima história que remonta à época proto-histórica, passando pelos romanos, árabes, senhores feudais, judeus, invasões francesas e muito mais. 

A sua localização geográfica e o seu património cultural, arquitétonico e natural aconselham a uma visita demorada e relaxada.  

Clique na imagem e venha passear pelas ruas da freguesia.

 Bom passeio!

 

 Aldeias de A a Z

Programa da RTP 

Aldeia Viçosa para o mundo

Tarifas Sociais

Foi aprovado em Assembleia Municipal de 18/12/2017 o regulamento com as novas condições para usufruir das tarifas sociais para o pagamento das águas no concelho da Guarda.

Encontra o  Regulamento clicando aqui.   

Homenagem

Conterrâneos que combateram na 1ª Guerra Mundial:

  1. António Martins, filho de Manuel Martins e Adelaide Tunica (falecido em combate).
  2. Amaro Jacob, filho de José Jacob e de Cândida Maria;
  3. António de Aguiar, filho de Bernardo de Aguiar e de Maria José;
  4. Francisco Rodrigues, filho de João Rodrigues e de Bernarda Máxima;
  5. João Pais, filho de Manuel Pais e de Maria Joaquina;
  6. José Gonçalves Tapada, filho de José Gonçalves e Maria Rebela;
  7. José Nunes Luzio, filho de Joaquim Nunes Luzio e de Maria Joaquina da Paixão;
  8. Manuel Gonçalves Tapada, filho de José Gonçalves Tapada e de Maria do Patrocínio;
  9. Manuel de Matos, filho de António de Matos e de Ana Joaquina;
  10. Simão Ferreira da Guerra, filho de Francisco Ferreira e de Maria Cândida.